Médicos recorrerão à natureza para estimular recuperação de Schumacher

Home » Notícias » Médicos recorrerão à natureza para estimular recuperação de Schumacher

19/06/2014 16:06 - Atualizado em 19/06/2014 16:06

O início do lento processo de retomada de consciência de Michael Schumacher, anunciado por sua empresária e assessora de imprensa, Sabine Kehm, segunda-feira, vai permitir que seu tratamento ganhe outra dimensão.

O ex-piloto sete vezes campeão do mundo está internado no Centro Hospitalar Universidade Vaudois (Chuv), em Lausane, na Suíça, depois de deixar o Hospital de Grenoble, para onde foi levado para se recuperar do acidente de esqui de 29 de dezembro.

O neurologista que o está acompanhando é o professor Richard Frackowiak, autor de uma técnica que combina imagens, sons e cheiros da natureza para estimular pacientes que sofreram importantes lesões neurológicas, como Schumacher, “a outdoor therapie”.

E o primeiro contato de Schumacher com a natureza será no jardim no próprio hospital suíço, concebido para o tratamento. Essa técnica utiliza o canto dos pássaros, o ruído do vento, os sons produzidos por folhas em movimento que junto das vozes de pessoas da família geram emoções positivas, importantes para acelerar a atividade cerebral.

A doutora Karin Diserens, colaboradora do Grupo da Ciência do Coma, explicou ao jornal italiano Corriere dello Sport que os resultados já obtidos com outros pacientes foram animadores. “Temos casos de pacientes que não falavam (como Schumacher) e começaram a articular palavras com o outdoor therapie.”

Segundo se comentou hoje no paddock do Circuito Red Bull Ring, onde amanhã começam os treinos livres do GP da Áustria, Schumacher não identifica ainda a maioria das pessoas ao seu redor, mas já realiza alguns movimentos com a cabeça. Está 20 quilos mais magro e se mantém acordado parte do tempo.

Segundo o professor Erich Riederer, outro conceituado neurologista suíço, serão necessários meses até que Schumacher seja capaz de sentar e se movimentar com uma cadeira de rodas elétrica. E ainda não está totalmente claro para a classe médica o quanto os danos do choque da cabeça na pedra afetaram o seu cérebro. Só o tempo irá responder que movimentos poderão ser recuperados.



whatsapp_jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top