Três grávidas perdem bebês em 24 horas na Santa Casa de Ourinhos

Home » Regional » Três grávidas perdem bebês em 24 horas na Santa Casa de Ourinhos

24/06/2014 20:06 - Atualizado em 24/06/2014 20:06

santa-casaEm menos de 24 horas, três mulheres perderam os bebês na Santa Casa de Ourinhos (SP). Ainda não há informações sobre o que teria provocado as mortes, mas as famílias das vítimas denunciam a falta de atendimento adequado às gestantes. Já a direção do hospital afirma que os bebês já estavam mortos quando as mulheres já chegaram ao local.

Um vídeo gravado dentro da Santa Casa mostra a dona de casa Nadir Aparecida Batista de 38 anos em uma maca. Ela estava grávida de sete meses e chegou ao hospital com dores. No vídeo, ela alega ter ficado dois dias sem atendimento médico:

– Quanto tempo você está aqui?

– Dois dias

– O médico tá vindo aqui vê, te vê?

– Não

A mulher perdeu o bebê e não teria recebido uma explicação do hospital sobre o procedimento, segundo os familiares. “A Nadir chegou às 10h de segunda-feira (23) no hospital e consegui encontrar um médico às 19h. Eles deram um remédio para ela depois que criança morreu, mas não explicaram nada sobre o que aconteceu”, conta a irmã da dona de casa, Márcia da Silva Cristina.

A jovem Izabel Fernanda, de 20 anos, que estava grávida de quatro meses também perdeu o a criança dentro do hospital. Além dela e Nadir, outra paciente também perdeu a criança que esperava. As famílias das vítimas estão revoltadas com o atendimento prestado.

“Eu praticamente entrei na sala de parto e pedi explicações para o médico sobre o porquê que ela perdeu a criança. O sofrimento que ela está passando é revoltante e o fato os médicos não terem falado sobre o procedimento é um descaso”, ressalta a cunhada de Nadir, Neuza Macedo.

Em contato a Santa Casa, a direção preferiu não comentar o assunto e pediu um tempo para investigar cada caso para emitir um parecer oficial. No entanto, em nota, a assessoria do hospital informou que nos três casos assim que as mães chegaram no hospital as crianças já estavam mortas.

Fonte: G1 Bauru e Marília / TV Tem



whatsapp_jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top