Caos na saúde de Ourinhos: Falta de materiais básicos, assédio e redução de mais de 30% das consultas são a nova realidade do AME

De acordo com o presidente do Simesp, a administração também está assediando os médicos com ameaças de demissões e advertências

Home » Notícias, Regional » Caos na saúde de Ourinhos: Falta de materiais básicos, assédio e redução de mais de 30% das consultas são a nova realidade do AME

06/12/2017 09:12 - Atualizado em 06/12/2017 09:12

O Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) recebeu denúncias com relação ao sucateamento que ocorreu no Ambulatório Médico de Especialidades (AME) de Ourinhos após a troca de gestão da unidade, que passou a ser administrada pela organização social (OS) Santa Casa de Misericórdia de Assis desde outubro. No local, cirurgias foram canceladas por falta de materiais básicos como agulhas; houve redução de 34,5% no agendamento de consultas; falta farmacêutico em horário de pico, impedindo a liberação de medicamentos; são recorrentes os atrasos de duas horas nos atendimentos agendados são constantes; e até a bolacha disponibilizada para pacientes que precisam estar em jejum foi cortada, gerando risco a diabéticos.

De acordo com Eder Gatti, presidente do Simesp, a administração também está assediando os médicos com ameaças de demissões e advertências. “A atual realidade imposta pela nova administração fez com que vários profissionais se desligassem da unidade, gerando lacunas assistenciais à população. A OS impôs que que só contrataria novos médicos por pessoa jurídica, o que é caracterizado como fraude trabalhista.”

Segundo os médicos, o AME Ourinhos contava com aprovação de 97% dos usuários. Hoje, com a administração feita pela Santa Casa de Assis, a unidade feita pela Santa Casa de Assis, a unidade é objeto de reclamações, que tiveram um aumento de 400%, devido à queda de qualidade dos serviços prestados, originada pelos moldes de funcionamento impostos pela nova administração.

Devido ao grave cenário, o Sindicato dos Médicos de São Paulo enviou ofício cobrando uma posição sobre a crise no AME a Lucas Pocay, prefeito da cidade; David Uip, secretário de Saúde do Estado; e parlamentares locais, mas ainda não obteve resposta.

Sobre o AME
O AME Ourinhos é uma unidade da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e tem por destinação o atendimento da população de Ourinhos e das cidades circunvizinhas, abrangendo cerca de 250 mil pessoas.

Fonte: SIMESP



whatsapp_jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top