Boletos falsos podem deixar empresários no prejuízo, afirma Fecomércio

Home » Notícias, Regional » Boletos falsos podem deixar empresários no prejuízo, afirma Fecomércio

13/08/2015 16:08 - Atualizado em 13/08/2015 16:08

Um antigo golpe financeiro bastante conhecido no comércio ainda continua fazendo muitas vítimas. Por isso, empresários e contadores devem estar atentos às cobranças de taxas indevidas, conhecidas como “caça-níquel”, além do recebimento de possíveis boletos falsos, emitidos por “entidades-fantasmas”.

De acordo com o diretor da Fecomercio-SP e presidente do Sincomércio de Ourinhos, Fred Correa Leite, estes são golpes financeiros que se configuram como prática criminosa. Entidades fraudulentas, que não possuem registro no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), utilizam nomenclaturas para ludibriar os empresários, cobrando taxas que são próprias de organizações sindicais, como Contribuição Assistencial, Sindical e Confederativa e outras.

Por meio de publicações no Diário Oficial, as chamadas entidades-fantasmas conseguem as informações de novas empresas e passam a enviar os boletos de cobrança. Os boletos que chegam ao endereço da empresa recém-aberta, geralmente, têm prazo curto de vencimento.

Validador de Boletos
Para evitar que os empresários caiam nessa armadilha, a FecomercioSP criou o Validador de Boletos, uma ferramenta que ajuda na identificação da validação do boleto, disponível apenas para as empresas que estão no cadastro da FecomercioSP e de alguns sindicatos associados que que utilizam o sistema da entidade. Além disso, a FecomercioSP orienta que os empresários consultem, como uma outra opção de validação, no site da Receita Federal, a autenticidade do número do CNPJ informado no boleto, para identificar se o cedente é realmente o discriminado do boleto recebido.
Caso já tenham efetuado o pagamento, e o boleto seja falso é importante que compareçam à agência bancária mencionada no boleto exigindo o estorno do valor, se possível por escrito. Outra providência a ser tomada é comparecer à delegacia e registrar o ocorrido.



whatsapp_jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top