BNDES oferece capital de giro a empresários paulistas

Home » Brasil / Mundo, Notícias » BNDES oferece capital de giro a empresários paulistas

14/08/2015 16:08 - Atualizado em 14/08/2015 16:08

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, esteve reunido nesta sexta-feira (14) com empresários paulistas, na sede da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), para divulgar a linha de crédito da instituição para capital de giro – o Programa de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda (Progeren). A linha teve o limite orçamentário aumentado para R$ 7,7 bilhões. As novas condições passaram a valer na quarta-feira (12).

“O Progeren tem 60 meses [para pagar] com 24 meses de carência, portanto, dá um bom oxigênio em termos de giro para as empresas. Ele foi aberto para todos os setores da economia.”, explicou Coutinho. O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, ressaltou que capital de giro é, de fato, o estímulo necessário neste momento. “Isso seria um fôlego para todo o setor industrial”, avaliou. Em julho, as indústrias fecharam 30,5 mil postos de trabalho, uma queda de 1,07% ante junho.

CPI do BNDES

Coutinho reforçou interesse em comparecer à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga denúncias de irregularidades em contratos de financiamento. “Nós somos principais interessados em fornecer todas as informações. Uma vez instalada a CPI, eu mandei ofício ao presidente, ao relator, confirmando o meu interesse em participar e prestar esclarecimentos”, disse.

O relator da comissão, deputado José Rocha (PR-BA), espera que o presidente explique denúncias sobre empréstimos investigados pela Operação Lava Jato. Segundo parlamentares, há suspeitas de que recursos foram concedidos tanto a empresas de fachada quanto a empreiteiras investigadas na operação que apura irregularidades na Petrobras.

Coutinho avalia que a CPI pode ser uma oportunidade, por exemplo, para explicar empréstimos feitos a outros países. “Nós financiamos bens e serviços produzidos no Brasil. Pagamos aqui em reais ao exportador brasileiro. Depois de verificar que a produção e a exportação foram feitas, nós pagamos, em reais, a medida que os serviços são prestados”, explicou.



whatsapp_jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top